Padre acusado de abusar de crianças é morto na prisão

O ex-sacerdote John Geoghan, preso sob a acusação de molestar uma criança e uma das peças centrais do escândalo sobre abusos sexuais na Igreja Católica, foi morto na prisão. Georghan foi ferido em um incidente envolvendo outro presidiário por volta de meio dia, e acabou morrendo após ser levado para o hospital Leominster, de acordo com David Shaw, porta voz do Departamento de Segurança Pública. O outro presidiário foi isolado e o incidente está sob investigação.O escândalo sexual de repercussões mundiais explodiu no início de 2002, com a revelação de que a Igreja havia transferido Geoghan de uma paróquia para outra, apesar das advertências sobre sua conduta. O tema veio à luz quando um juiz ordenou que a arquidiocese de Boston liberasse seus arquivos, incluindo casos de dezenas de sacerdotes, o que mostrou que os chefes eclesiásticos adotavam a prática de transferir sacerdotes que eram denunciados por esse tipo de delito. Geoghan foi condenado em janeiro de 200 por molestar sexualmente um menino de 10 anos em 1991, no primeiro de três processos abertos contra ele. Mais de 130 pessoas apresentaram denúncias contra o acusado. Em setembro de 2002, a arquidiocese de Boston acertou com as vítimas de Geoghan uma indenização de US$ 10 milhões. A exigência inicial das vítimas havia sido de US$ 30 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.