Padre condenado por pedofilia é suspenso na Alemanha

Uma arquidiocese alemã, supervisionada pelo papa Bento 16 entre 1977 e 1982, anunciou hoje que um padre condenado em 1986 por abuso sexual de crianças foi suspenso por violar uma ordem para que não tivesse contato com menores de idade. A revelação ocorre em um momento no qual a Igreja se depara com acusações levantadas por cerca de 300 alemães que afirmam ter sido molestados sexual ou fisicamente por padres em escolas religiosas e outras instituições.

AE-AP, Agencia Estado

15 de março de 2010 | 20h46

Por meio de nota, a arquidiocese de Munique e Freising anunciou o afastamento do padre, identificado somente como reverendo H., "até que fique provado se ele descumpriu ou não as condições estabelecidas depois de acusações de abuso sexual de menores e de uma condenação pela justiça". O prelado Josef Obermaier, responsável pela indicação do pastor a sua última posição, renunciou a seu cargo, afirmou a arquidiocese.

Segundo a arquidiocese, o padre suspenso foi transferido para Munique em 1980. Ali, ele passou por terapia por causa de "relações sexuais com meninos", segundo a arquidiocese. Apesar de seu passado de pedofilia ser conhecido, o padre foi enviado dois anos depois para uma paróquia em Grafing.

Ele foi afastado sem seguida, no início de 1985, depois do surgimento de novas acusações de abuso sexual, pelas quais veio a ser condenado no ano seguinte. De acordo com a arquidiocese, desde 1986 não apareciam novas acusações e ele havia sido "expressamente proibido de trabalhar com crianças e adolescentes".

O papa Bento 16 ainda não se pronunciou sobre a série de acusações de abuso sexual e físico contra menores envolvendo padres católicos na Alemanha, mas o arcebispo Rino Fisichella disse que, em breve, o pontífice dará a conhecer uma carta sobre acusações similares levantadas na Irlanda.

Hoje, na Irlanda, o cardeal Sean Brady informou que só deixará seu posto se o papa assim pedir, mas admitiu ter ajudado a igreja a coletar evidências de que um padre havia molestado dezenas de crianças na Irlanda, no Reino Unido e nos Estados Unidos antes de ser detido em 1994.

Tudo o que sabemos sobre:
Alemanhapadrepedofiliasuspensãopapa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.