Padre e freira condenados por fazer sexo em público na África

Um padre e uma freira católicos foram condenados por um tribunal do Maláui por fazer sexo no estacionamento de um aeroporto. Os dois foram flagrados em pleno ato sexual dentro de um carro com os vidros escurecidos estacionado no Aeroporto Internacional de Lilongwe, a capital do país."Foi um espetáculo bizarro", disse o porta-voz da polícia Delvin Maigwa à BBC. "O público avisou a polícia depois de ter visto o carro balançando de uma forma engraçada." O sacerdote de 43 anos e a freira de 26 foram a condenados a seis meses de prisão com trabalhos forçados, mas a pena foi suspensa.LágrimasEm um tribunal lotado, os dois assumiram a culpa nas acusações de comportamento indecente em local público e conduta desordeira. Em lágrimas, a freira disse ao juiz que lamentava seu breve lapso de consciência enquanto o padre disse que, como um homem de Deus, aceitava o fato de que Satã o havia tentado.O juiz Arthur Mtalimanja aceitou as desculpas como elementos que minimizavam a pena, mas disse que os dois, como servidores de Deus, eram "as últimas pessoas" de quem se esperaria este tipo de comportamento."Portanto eu vou condená-los a seis meses de prisão com trabalhos forçados, mas vou suspender a pena porque vocês mostraram arrependimento", disse o juiz. Mas o juiz alertou que, se eles recaírem no mesmo tipo comportamento, podem ser condenados a 18 meses de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.