Padre homossexual renuncia na Espanha

Em meio aos escândalos sexuais que atingem a Igreja Católica espanhola, o sacerdote Eladio Ocaña Serrano, pároco do povoado turístico de Nerja, no sul do país, renunciou à sua paróquia na semana passada, depois que seu amante homossexual divulgou um vídeo no qual eles aparecem mantendo relações sexuais.Por meio de um comunicado, dom Antonio Dorado Soto, bispo de Málaga, cuja diocese inclui Nerja, afirmou que o padre reconheceu sua "conduta moralmente irregular" diante da Igreja. De acordo com o comunicado do bispo, por enquanto, Ocaña está isolado em um monastério "orando e refletindo".Embora o comunicado não tenha feito qualquer comentário sobre o futuro de Ocaña, a imprensa espanhola afirma que ele dificilmente voltará ao seu ofício.O substituto de Ocaña, padre Francisco Garcia, disse que seu predecessor estava sendo chantageado pelo ex-amante, que, mais tarde, distribuiu os vídeos entre seus paroquianos.Apenas neste ano na Espanha, um sacerdote deixou o hábito para se casar, outro foi preso por participar de um bando que difundia pornografia infantil através da Internet e um terceiro foi suspenso depois de revelar em uma entrevista que era homossexual.A Espanha é um país predominantemente católico e a prática do homossexualismo - não o homossexualismo em si - é vista como um pecado pela Igreja.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.