Padre mata freira em exorcismo e é condenado a 14 anos

Um padre romeno foi condenado nesta segunda-feira a 14 anos de prisão pela morte de uma freira durante um ritual de exorcismo. Quatro madres receberam sentenças mais brandas por participação nos eventos que levaram à morte de Irina Maricica Cornici, de apenas 23 anos.A jovem freira cristã ortodoxa morreu em junho de 2005 no isolado convento da Santíssima Trindade, estabelecido em Tanacu, um vilarejo do norte da Romênia.Maricica passou vários dias amarrada, sem poder comer nem beber, e chegou a ser presa a uma cruz durante um ritual de exorcismo promovido por Daniel Petru Corogeanu, de 31 anos, um monge que atuava como padre no convento. Além de Corogeanu, quatro freiras participaram do ritual.O tribunal da cidade nortista de Vaslui condenou o padre e as freiras pelo crime de manter Maricica em cárcere privado, durante o qual ocorreu a morte da religiosa.Uma das freiras, Nicoleta Arcalianu, foi sentenciada a oito anos de prisão. As demais envolvidas - Adina Cepraga, Elena Otel e Simona Bardanas - foram condenadas a cinco anos de reclusão.Os advogados dos réus manifestaram a intenção de recorrer. Para eles, a sentença foi rigorosa demais. A morte de Maricica chocou a Romênia e levou a Igreja Ortodoxa a prometer reformas, inclusive testes psicológicos para aqueles que ingressam nos monastérios do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.