Pai afirma que pode ter identificado filho britânico em vídeo do EI

Jovem de 20 anos seria um dos jihadistas que aparecem no vídeo sobre a decapitação do refém americano Peter Kassig

O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2014 | 14h54

LONDRES - O pai de um estudante de medicina da cidade de Cardiff, no País de Gales, afirmou estar quase certo de ter identificado o filho como um dos 16 jihadistas que aparecem no último vídeo do Estado Islâmico (EI), divulgando a morte do refém americano Peter Kassig.

Em declarações ao jornal britânico Daily Mail, o engenheiro elétrico Ahmed Muthana disse que ele e a mulher entraram em contato com a polícia na noite de domingo depois de reconhecer o rosto do filho, Nasser Muthana, de 20 anos, em uma gravação dos extremistas postada na internet. O jovem saiu de casa em novembro do ano passado para lutar na Síria. "Não posso dizer ao certo, mas parece meu filho."

"Sou como qualquer outro pai. Estou tentando não acreditar que aquele é meu filho, mas parece com ele. Não vou dar desculpas. Ele já é um homem e tem que enfrentar o que fez", declarou Muthana, de 57 anos, dizendo estar impressionado com o quão magro o filho está.

As últimas imagens do vídeo citado mostram o rosto do homem que decapitou Kassig e ao seu lado dois jovens vestidos com uniformes militares.

O pai de Nasser afirmou que o EI é "desumano" e admitiu que o filho mudou e já não é mais aquele criado por ele. O EI inclui milhares de combatentes estrangeiros e se tornou um verdadeiro ímã para jihadistas da Europa e da América do Norte.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, presidirá uma reunião do comitê de emergência de seu governo, conhecido como Cobra, nas próximas 36 horas para ser atualizado pelas autoridades de inteligência e segurança em vista do vídeo mais recente, informou seu porta-voz.

O nível de ameaça de segurança da Grã-Bretanha foi elevado para seu segundo patamar mais alto em agosto devido ao risco apresentado por combatentes do EI voltando do Iraque e da Síria. Cameron já havia informado que tomará medidas contra os jovens do país que viajem para lutar com o EI, como o confisco de passaporte ou a retirada da nacionalidade.

A filmagem de domingo exibiu a maioria dos integrantes do EI sem máscaras. O Daily Mail disse que o homem que aparenta ser Nasser Muthana estava ao lado de Jihadi John. Em junho, Nasser apareceu em um vídeo exortando os muçulmanos a se unirem ao Estado Islâmico.

O grupo extremista divulgou vídeos da decapitação de dois americanos e dois britânicos que mostravam um militante mascarado e vestido de preto brandindo uma faca e falando com sotaque inglês, apelidado de "Jihadi John" pela mídia britânica. /EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.