Pai biológico ganha custódia das gêmeas vendidas pela Internet

Um juiz de uma corte da cidade norte-americana de St. Louis concedeu nesta quarta-feira a custódia temporária das gêmeas vendidas pela Internet a seu pai biológico.Entretanto, não ficou imediatamente claro o peso de tal decisão diante do fato de que uma corte britânica já havia ordenado que as irmãs permanecessem sob a guarda de autoridades do País de Gales até que o caso fosse resolvido. Em sua decisão desta quarta-feira, o juiz Jack Garvey concedeu a custódia das gêmeas, de sete meses, ao pai Aaron Wecker, habitante do bairro de Arnold, em St. Louis, no Estado de Missouri. Nem Aaron nem a mãe biológica das meninas, TrandaWecker, foram encontrados pela reportagem da AP. O caso envolvendo as gêmeas nascidas em St. Louis gerou um verdadeiro frenesi na imprensa, particularmente entre os tablóides britânicos. Judith e Alan Kilshaw, o casal galês que encontrou as irmãs através de um serviço da Internet, prometeram continuar lutando pela custódia. O caso da adoção dos Kilshaw no Estado de Arkansas está sendo contestado por um casal da Califórnia que encontrou as gêmeas através do mesmo site.Os Kilshaws deram os nomes de Belinda e Kimberley às meninas, enquanto que os Wecker as chamam de Kiara e Keyara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.