Pai de britânica desaparecida critica jornal holandês

Periódico publica carta anônima com o suposto local onde menina estaria enterrada

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

O pai da menina britânica Madeleine McCann, de 4 anos, desaparecida quando passava férias com a família em Portugal, disse nesta quinta-feira, 14, estar "extremamente decepcionado" com a publicação em um jornal holandês de uma carta anônima que relata o local onde supostamente seu corpo estaria enterrado. Em um comentário publicado no site montado pelos pais para ajudar a encontrá-la, Gerry McCann diz que a publicação da carta é "jornalismo irresponsável" e questiona sua credibilidade. "Estamos extremamente decepcionados com a publicação da carta anônima no De Telegraaf dizendo saber onde Madeleine está enterrada", diz o pai."Apesar de todas as informações serem consideradas seriamente, estamos muito preocupados de que a credibilidade dessa carta não foi examinada e, mais importante, que ela tenha sido publicada antes que a polícia portuguesa tivesse a oportunidade de investigar a alegação e fazer buscas na área, se apropriado, sem a grande atenção da mídia", afirma ele.InvestigaçãoA polícia portuguesa diz que está investigando a veracidade da carta e do mapa publicados pelo jornal holandês e deve realizar buscas no local indicado, a cerca de 15 quilômetros do local onde ela desapareceu, há seis semanas, na Praia da Luz.A carta tem semelhanças com outra enviada ao mesmo jornal no ano passado, indicando o local onde duas meninas belgas desaparecidas estavam enterradas.O delegado Olegário de Sousa, responsável pelas investigações, disse que a polícia estava "checando as informações" dadas na carta. Mas a polícia portuguesa diz que as informações e o mapa publicados são "vagos".Em seu comentário na internet, Gerry McCann disse que a publicação foi "um exemplo de jornalismo irresponsável e, mesmo se for verdade, é insensível e cruel"."As pessoas podem imaginar como é perturbador para Kate (a mãe) e eu escutar tais alegações através da mídia. Se cada informação fosse publicada assim não haveria nada além disso nos jornais", diz.ObservaçãoOito policiais à paisana visitaram a vila de Arao, a 15 quilômetros da Praia da Luz, na noite de quarta-feira. Eles passaram cerca de uma hora e vinte minutos no local observando a região em antecipação a possíveis buscas.Segundo a correspondente da BBC Alison Roberts, a polícia prometeu investigar as informações publicadas pelo Telegraaf, mas não deu detalhes sobre que recursos seriam empregados nas buscas.Madeleine desapareceu no dia 3 de maio de um resort na Praia da Luz, em Portugal, onde passava férias com os pais e os irmãos gêmeos de 2 anos. Desde então, o caso vem recebendo grande atenção da mídia internacional, com uma campanha que já arrecadou cerca de US$ 1,5 milhão em doações. Gerry e Kate McCann já viajaram a vários países na Europa e até na África para buscar informações sobre seu paradeiro. No início desta semana eles estiveram no Marrocos, atrás de informações de que a menina teria sido vista no país. No mês passado, eles foram ao Vaticano para se encontrar com o papa, que abençoou uma foto da menina.

Mais conteúdo sobre:
McCannMadeleineDe Telegraaf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.