Reuters
Reuters

Pai de checheno morto pelo FBI suspeita que filho foi torturado

Ibragim Tidashev era suspeito de ter ligação com o atentado à Maratona de Boston

O Estado de S. Paulo,

23 Maio 2013 | 18h53

GROZNY, RÚSSIA - O pai do imigrante checheno morto durante as investigações sobre a sua ligação com o ataque a bombas à Maratona de Boston disse nesta quinta-feira, 23, que pretende viajar aos EUA, onde ele suspeita que seu filho foi torturado e morto.

Ibragim Todashev, de 27 anos, foi morto por um agente federal no complexo de apartamentos em que vivia depois de ficar violento durante um interrogatório sobre sua ligação com Tamerlan Tsarnaev, o mais velho dos dois irmãos acusados de colocar as duas bombas perto da linha de chegada da maratona em 15 de abril.

"Eu suspeito que eles torturaram meu filho e que ele sofreu uma morte dolorosa", disse Abdülbaki Todashev, enxugando as lágrimas, na casa que divide com uma de suas mulheres na região de maioria muçulmana da Chechênia. "Eu vou tentar ir (aos Estados Unidos) e chegar à verdade", afirmou ele ao receber vizinhos e conhecidos que foram lhe dar os pêsames pela morte do filho, o mais velho dos 12 que teve com duas mulheres.

Uma equipe especial do FBI de Washington iniciou nesta quinta-feira uma revisão da morte do imigrante checheno. Ibragim conheceu os Tsarnaev quando ele viajou para os Estados Unidos para aprimorar o seu inglês, disse seu pai, que trabalha no gabinete do prefeito na principal cidade da Chechênia, Grozny.

Ele disse ter permitido a permanência do filho nos EUA porque o garoto disse que era mais seguro do que a Chechênia, onde separatistas travaram duas guerras com a Rússia após o fim da União Soviética. Ibragim viajou aos EUA em 2008 com um passaporte russo, disse uma fonte, e viveu em Boston antes de se mudar para a Flórida, onde foi morto.

Segundo seu pai, ele tinha um bilhete de avião para voltar à Rússia nesta sexta-feira. "Ele não deveria ter saído. Ele vivia confortavelmente e sua mãe estava muito preocupada porque ele era o mais velho da família e ela estava acostumada a tê-lo como um modelo para os outros", disse uma vizinha, chamada Malika, que se recusou a dar o sobrenome.

O agente do FBI que atirou em Todashev, que também praticava artes marciais, não foi publicamente identificado, mas faz parte da agência de Boston. Todashev era um dos pelo menos dois amigos de Tamerlan que estavam sendo observados de perto pelos investigadores desde que os irmãos Tsarnaev foram identificados como suspeitos do ataque, disse uma fonte policial.

Um amigo de Todashev nos EUA, Khusen Taramov, disse que ele estava sendo seguido constantemente nas últimas semanas por agentes e questionado repetidas vezes por telefone e acareações, que duraram até cinco horas. Taramov disse ter sido questionado também.

Todashev foi preso no dia 4 de maio e acusado de agressão grave após brigar com outro homem no estacionamento de um shopping em Orlando, de acordo com o gabinete do xerife do Condado de Orange. O homem, que teve o lábio superior partido e vários dentes arrancados, não quis prestar queixa contra Todashev, que foi liberado da prisão sob fiança de US$ 3.500, disse uma porta-voz do xerife. / REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.