Pai de piloto sequestrado pelo Estado Islâmico implora por bom tratamento

O pai do piloto jordaniano sequestrado pelo Estado Islâmico implorou neste sábado para que os militantes do grupo terrorista tratem bem o seu filho e com respeito. Mu''ath al-Kaseasbeh foi capturado no dia 24 de dezembro, depois que seu avião caiu no reduto militante de Raqqa, no norte da Síria, durante a realização de ataques aéreos contra o EI.

Estadão Conteúdo

03 de janeiro de 2015 | 13h09

Em entrevista a jornalistas, o pai do piloto, Safi Yousef al-Kaseasbeh, afirmou que está "confiante" de que seu filho está "em boas mãos e em um lugar onde ele está sendo respeitado".

"Quero dizer ao nossos irmãos do Estado Islâmico que Mu''ath é seu filho assim como é nosso filho", disse al-Kaseasbeh. "Minha mensagem para eles neste dia, o aniversário do profeta Maomé, é para que tratem ele bem, como se trata uma visita".

No último dia 25, o pai do piloto sequestrado já havia pedido aos militantes a libertação de seu filho. Na ocasião, ele também implorou por um bom tratamento, lembrando que seu filho era um muçulmano, mesma religião do grupo ultraconservador.

O piloto, de 26 anos, é o primeiro militar a cair nas mãos dos militantes desde que os Estados Unidos iniciariam a força de coalizão contra o grupo terrorista, em setembro.

Em sua revista mensal, o Estado Islâmico publicou uma suposta entrevista com o piloto, onde ele afirma ter sido derrubado por um míssil. A versão contradiz as declarações do Reino Unido, que nega que os militantes derrubem aviões na Jordânia. O grupo não deu qualquer outra informação sobre o piloto. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
JordâniaEstado Islâmicopilotopai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.