Pai quer revelar nome de jovem morta em estupro

O pai da jovem indiana que morreu após sofrer um estupro coletivo disse ao jornal britânico Sunday People que o nome da vítima deve se tornar público para prevenir outros casos de abuso. A lei indiana proíbe a identificação para proteger as vítimas de crimes sexuais. O ministro de Recursos Humanos, Shashi Tharoor, também pediu que o nome seja revelado para batizar uma lei anti-estupro. A mulher, de 23 anos, morreu semana passada em um hospital em Singapura. Ela foi atacada em um ônibus mês passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.