Pai quer trocar de lugar com soldado israelense capturado

O pai de um soldado israelense capturado propôs a um dos seqüestradores que libertassem seu filho e o levassem em seu lugar.O pedido feito por Noam Shalit, ao confrontar o representante dos seqüestradores em uma rádio independente, foi rejeitado pelos militantes ligados ao Hamas. O soldado só será solto quando Israel libertar grande parte dos prisioneiros palestinos.Noam Shalit e o representante dos seqüestradores Abu Mujahid estiveram na rádio controlada por árabes e judeus, situada em Israel. Shalit falava em hebraico e Mujahid em árabe, enquanto um tradutor fazia a mediação.Gilad Shalit, de apenas 20 anos, foi capturado dia 25 de Junho por comandos de Gaza. Os militantes atravessaram a fronteira por um túnel e atacaram um posto militar israelense, matando dois soldados e levando o Shalit.Há um mês, o governo de Israel pretendia libertar mil prisioneiros em troca do soldado capturado. Mas as negociações feitas por mediadores egípcios falharam, e, frustrado pelos seis meses de cativeiro do filho, Noam Shalit disse que se os seqüestradores aceitassem, queria se oferecer para, se necessário, atravessar a faixa de Gaza e ficar sob domínio das forças de segurança do Hamas até que todas requisições sejam atendidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.