Pai sobe em guindaste ao lado do Tâmisa e pára Londres

David Chick é um homem indignado. E um imã para atrair a indignação de outros. Desde sexta-feira, esse pai de 36 anos sentou-se no alto de um guindaste de 37 metros de altura, ao lado da Tower Bridge, em Londres, vestido de Spiderman, num lance para atrair a atenção para a situação de pais que não têm acesso a seus filhos.A polícia diz que ele é um risco para a segurança e fechou a ponte, uma rota de acesso, através do Rio Tâmisa, de trânsito pesado. A área em torno da ponte agora zumbe de motoristas irados, turistas confusos e uma aglomeração de homens zangados que dizem que o sistema legal britânico está afastando milhares de pais de seus filhos.?Tiro o chapéu para esse homem?, diz Charlie Harrison, divorciado e pai de um filho, que parou para ver a cena. ?É o único jeito. Pais e filhos estão sofrendo, mas ninguém se importa.?O protesto solo de Chick é apoiado pelo Fathers 4 Justice, um grupo que tem atraído a atenção para o tema dos direitos dos pais com uma série ruidosa de manifestações. No ano passado, 200 membros do grupo, vestidos de Papai Noel, protagonizaram uma cena teatral num escritório da promotoria. No mês passado, dois membros vestidos como Batman e Robin escalaram um edifício do Tribunal Superior.O grupo tem uma celebridade entre seus membros, o pop star e fundador do Live Aid, Bob Geldof, que batalhou pela custódia de seus três filhos com a ex-parceira Paula Yates, e que tem falado em favor do aumento dos direitos de custódia para os pais. Paula morreu de overdose em 2000.O protesto de Chick acerta na veia da indignação e angustia sentida pelos pais, que perderam contato com seus filhos depois que seu relacionamento se desfez. A área em torno da Tower Bridge atraiu homens que não vêem seus filhos há vários anos e se ressentem de um sistema leal que, acreditam, favorece as mulheres.?É como uma humilhação ritual?, diz o pai divorciado Harrison, de 45 anos, que afirma não ver a filha de 12 anos há dois anos. ?Você é levado ao tribunal e deixado nu.??Coisas como essa mudarão as coisas?, diz, mostrando o guindaste. O Fathers 4 Justice garante que os tribunais predominantemente dão à mãe a custódia dos filhos depois do divórcio e que pouco é feito para forçá-los a conceder aos pais contato com os filhos. Na maioria dos casos, diz o grupo, as crianças deveriam passar metade do tempo com cada pai.O Departamento do Lorde Chanceler, que supervisiona tribunais na Inglaterra e em Gales, diz que as mães ganham a custódia em cerca de quatro casos em cinco. E diz que está-se procurando tornar o sistema de custódia mais rápido e menos adverso, incluindo mediação para pais divorciados, antes que vão ao tribunal.O protesto de Chick significa mais dor de cabeça para transeuntes e moradores das imediações da Tower Bridge, que enfrentaram multidões e congestionamentos durante a recente peripécia do mágico David Blane, que se impôs um jejum de 44 dias dentro de uma caixa de plástico suspensa ao lado do Tâmisa.O prefeito de Londres, Ken Livingstone, cujo escritório dá de frente para a ponte, diz que Chick ?está demonstrando amplamente que as mulheres nem sempre permitem que seus parceiros tenham acesso aos filhos. Ele é um homem que está pondo a própria vida, a dos policiais e a de outros londrinos que passem por lá, em risco.? O fundador do Fathers 4 Justice, Matt O?Connor diz que Chick está ?desafiador e determinado a ficar lá o maior tempo possível?, e tem um bom suprimento de água e comida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.