Pais acreditam que Madeleine ainda está viva

Jornal diz que polícia portuguesa trabalha com hipótese de assassinato há mais de um mês

HENRIQUE ALMEIDA, REUTERS

07 de agosto de 2007 | 12h49

O pai da menina britânica Madeleine McCann disse que acredita firmemente que sua filha de 4 anos está viva, descartando as notícias de que ela teria sido assassinada após ter desaparecido de um apartamento em Portugal.   Veja também: Polícia sabe há um mês que Madeleine está morta"Não somos ingênuos, mas em muitas ocasiões a polícia portuguesa nos garantiu que estava procurando por Madeleine viva", disse Gerry McCann em uma entrevista ao canal de TV britânico Sky News, nesta terça-feira."Não sei de nenhuma informação que tenha mudado isso", disse ele, ao lado de sua mulher, Kate.O jornal Diário de Notícias noticiou nesta terça que a polícia de Portugal está cada vez mais convencida que Madeleine foi assassinada na noite em que desapareceu, três meses atrás, e não crê mais na hipótese de sequestro, após ter encontrado vestígios de sangue em uma parede do apartamento onde ela estava. A reportagem cita como fontes pessoas próximas à investigação do caso.No entanto, não se sabe ainda com certeza se o sangue encontrado era de Madeleine e testes vêm sendo realizados. O jornal não divulgou como os policiais chegaram à conclusão de que a criança havia sido assassinada. Um porta-voz da polícia negou-se a fazer comentários sobre a reportagem."A polícia portuguesa sabe há um mês que Madeleine McCann foi morta naquela noite (do dia 3 de maio), no apartamento do balneário de Praia da Luz, tendo descartado definitivamente a possibilidade de a garota ter sido sequestrada", disse o Diário de Notícias."Confirmou-se que há vestígios de sangue no apartamento ocupado pelos McCann", afirmou uma fonte à publicação.Madeleine desapareceu do resort de Praia da Luz, na região turística do Algarve, em 3 de maio, a poucos metros de onde seus pais jantavam.   Suspeitos   O britânico Robert Murat, de 33 anos, foi apontado pela polícia como o principal suspeito, e o imóvel de propriedade dele já foi vasculhado duas vezes.O jornal também disse que a polícia havia identificado um segundo suspeito, um homem branco de 40 anos de idade, e que investigava alguns dos amigos da família McCann hospedados no resort quando do desaparecimento da menina.Os pais de Madeleine deram início a uma campanha incessante a fim de chamar atenção para o caso.  "Kate e eu acreditamos que Madeleine estava viva quando foi levada do apartamento", disse o pai da menina.De empresários a celebridades, incluindo J.K. Rowling, autora da série com o personagem Harry Potter, e estrelas do futebol, várias pessoas contribuíram para conseguir um resgate que seria pago em troca da menina.Houve vários relatos sobre o fato de Madeleine ter sido vista, do Marrocos à Argentina, desde o desaparecimento dela. Mas a polícia não conseguiu chegar, até agora, a nenhum resultado concreto.Na semana passada, autoridades belgas afirmaram estar realizando testes de DNA em uma garrafa e em um canudo depois de um outro relato sobre o fato de a garota ter sido vista.

Tudo o que sabemos sobre:
PortugalMadeleine

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.