País busca acordo com Guiana

Os governos da Venezuela e da Guiana tentarão chegar a um acordo para uma saída diplomática sobre uma disputa territorial entre os dois países, anunciou ontem o presidente Hugo Chávez. O chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, se encontrará nos próximos dias com a chefe da diplomacia da Guiana, Carolyn Rodrigues, e um enviado da ONU em Trinidad Tobago para tratar do impasse sobre a região fronteiriça de Esequibo.

CARACAS , O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2011 | 03h05

No começo do mês, a Guiana submeteu às Nações Unidas um pedido para expandir suas fronteiras marítimas e incluir a área reclamada pela Venezuela, rica em recursos minerais.

Na terça-feira, Chávez tinha pedido a Maduro que atuasse com "pés de chumbo" na disputa territorial e qualificou o pedido guianense como irregular. Ontem, no entanto, o líder venezuelano baixou o tom e prometeu alcançar um acordo por meio do diálogo.

"Decidimos tratar o tema com dignidade e diplomacia", disse Chávez. "Pela primeira vez, a Venezuela está desempenhando um papel de integração. As relações são conduzidas em função do interesse nacional, da paz e do desenvolvimento."

A região de Esequibo é disputada desde o século 19. A Venezuela a considera parte de seu território, mas ela foi ocupada por colonos britânicos a partir de 1831. Com a independência da Guiana, em 1980, a área em questão passou a ser reclamada pelo novo país. / AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.