Pais de Madeleine reúnem-se com investigadores

Família diz que encontro foi de rotina, em meio a suspeitas de envolvimento do casal no sumiço da garota

EFE E AP, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2009 | 00h00

Gerry e Kate McCann, pais de Madeleine, a menina britânica de 4 anos que desapareceu no dia 3 de maio em Portugal, reuniram-se ontem novamente com a polícia portuguesa, em meio a suspeitas de que o casal estaria envolvido no sumiço da garota. Um porta-voz da família disse que o encontro foi de rotina. Mas o jornal português Diário de Notícias havia afirmado em sua edição de ontem que investigadores poderiam convocar os dois para novo depoimento.Madeleine desapareceu do quarto de hotel onde dormia com a irmã e o irmão mais novos. Os pais de Madeleine jantavam com amigos num restaurante do resort na Praia da Luz, na região do Algarve, no sul do país. Após o desaparecimento da filha, Kate e Gerry lançaram uma campanha internacional pedindo o retorno de Madeleine. Os pais da menina chegaram a ser recebidos pelo papa Bento XVI, que abençoou uma foto de Madeleine.Até agora, o único suspeito no caso era o britânico Robert Murat, que mora ao lado do hotel. A polícia vasculhou sua casa mas não está claro se alguma prova foi encontrada. Nos últimos dias, no entanto, jornais portugueses revelaram que investigadores teriam descartado a hipótese de seqüestro após a descoberta de traços de sangue no quarto de Madeleine. O resultado do exame de DNA deve sair nos próximos dias.Segundo o Diário de Notícias, as suspeitas contra o casal teriam se intensificado com base em telefonemas e e-mails trocados por Kate e Gerry com amigos. Além disso, outro veículo, o Jornal de Notícias, afirmou que o casal e os amigos deram informações contraditórias sobre as supostas idas de Gerry e Kate durante à noite ao quarto para checar se os filhos estavam bem. Todos esses fatores teriam levado a polícia a investigar agora se Madeleine foi assassinada ou morreu acidentalmente no quarto. Gerry disse na terça-feira que o casal estava abalado com a suspeita sobre eles e afirmou que ele e sua mulher ainda acreditam que Madeleine está viva.A polícia belga confirmou ontem que uma menina parecida com Madeleine vista na Bélgica, na semana passada, não era a britânica. A confirmação foi feita após a análise DNA em um canudo e uma garrafa usados pela menina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.