Pais de Madeleine se dizem 'chocados' por serem suspeitos

Polícia declarou os pais da menina britânica suspeitos do desaparecimento da filha, de 4 anos

HENRIQUE ALMEIDA, REUTERS

08 de setembro de 2007 | 13h08

Kate e Gerry McCann, que comoveram a Europa devido ao desaparecimento da sua filha Madeleine, estão chocados por serem agora tratados como suspeitos pela polícia portuguesa, afirmou neste sábado, 8, uma representante do casal. Após horas de interrogatórios separados na quinta e sexta-feira, a polícia passou a tratar os dois britânicos como suspeitos pelo desaparecimento da menina de 4 anos, em 3 de maio, mas não os indiciou formalmente, segundo um advogado dos McCanns. "Eles estão chocados, frustrados, cansados", disse Justine McGuinness, representante do casal, à Reuters. Kate e Gerry McCann pretendiam voltar no domingo do Algarve para Rothley (Inglaterra), onde vivem. Mas um amigo da família disse que eles decidiram permanecer em Portugal para tentar provar sua inocência e encontrar a filha. "No momento, a intenção deles é ficar aqui. Entretanto, eles gostariam muito de ir para casa", afirmou o amigo à Reuters. Ao apontar os McCann como suspeitos, a polícia indica que eles podem ter tido envolvimento no crime, mas não necessariamente serão detidos. O advogado deles disse que seus clientes não estão proibidos de deixar Portugal. "Eles podem viajar sempre e para onde quiserem", afirmou o advogado Carlos Pinto de Abreu à Reuters. Parentes pediram à polícia portuguesa que retire o casal da lista de suspeitos e retome a busca à menina. "Se isso é o que é preciso para acelerar o processo de inocentar absolutamente Gerry e Kate, vamos seguir adiante", disse John McCann, irmão de Gerry, à rádio BBC. Mas Abreu disse não ter idéia de quanto tempo o caso pode levar, já que Portugal tem graves problemas burocráticos e um Judiciário lento. O semanário português Expresso citou neste sábado juristas segundo os quais o caso pode se arrastar por pelo menos um ano. A policia mudou sua linha de investigação depois de receber, nesta semana, os resultados da perícia feita por especialistas portugueses e britânicos em vários locais, inclusive no apartamento de férias onde Madeleine foi vista pela última vez. McGuinness disse que Kate lhe contou que a polícia achou sangue num carro alugado pelo casal após o desaparecimento da filha, mas que não há confirmação de que o sangue seja da menina.

Tudo o que sabemos sobre:
CRIMEMADELEINEPAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.