Pais garantem que motorista de Diana não estava bêbado

Os pais de Henri Paul, o motorista do automóvel da princesa Diana no dia do acidente em que ela morreu em Paris, acusaram judicialmente o laboratório da polícia por "falsificação de perícia", informou o advogado do casal, François Meyer. Ele acrescentou que Gisele e Jean Paul não acreditam "de nenhuma forma" que seu filho - também morto no desastre - estivesse embriagado conforme revelaram exames de seu sangue. "Henri Paul não era esse tipo de pessoa", acrescentou o advogado. "Os pais dele acreditam em erro de análise, uma possível confusão de amostras no dia do acidente (em 31 de agosto de 1997)?.

Agencia Estado,

02 Agosto 2002 | 17h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.