Países africanos firmam pacto de defesa comum

Líderes da África assinaram um amplo pacto de defesa e segurança que permite à União Africana enviar tropas para intervir em guerras civis, conflitos internacionais e tentativas de golpe no continente. Além disso, o líder líbio Muamar Kadafi disse que seu país desistiu de construir armas atômicas porque essa é uma ?política destruidora da vida e da economia?.Dificuldades econômicas deverão atrasar a implementação da força africana, disseram delegados. Um representante do Zimbábue disse que ela não deverá estar pronta antes de 2010.?O acordo que assinamos inclui a necessidade de encontrar respostas coletivas para ameaças, internas ou externas?, disse o presidente de Moçambique, Joaquim Chissano. Ele afirmou a União Africana estabelecerá uma ?força de emergência? de soldados africanos para agir em zonas de conflito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.