Países da África Ocidental prometem força regional para combater Boko Haram

Nigéria, Níger, Chade e Camarões se comprometeram nesta quarta-feira a mobilizar uma força conjunta para enfrentar a crescente ameaça regional representada por militantes islâmicos do grupo Boko Haram que operam principalmente em território nigeriano.

REUTERS

23 de julho de 2014 | 21h58

Cada nação deve mobilizar 700 homens para a força no mais recente esforço para melhorar a resposta regional contra os militantes, que intensificaram a insurgência no norte da Nigéria e realizaram alguns ataques em países vizinhos.

"Esta etapa é prova do nosso compromisso para fazer todo o possível para erradicar esta praga", disse o ministro da Defesa do Níger, Karidio Mahamadou.

Os quatro países, cujas fronteiras se encontram no Lago Chade, uma área que é um reduto do Boko Haram, já compartilham inteligência e coordenam a segurança de fronteira na região, mas a mobilização de uma força regional nesta escala representa uma grande esforço.

O anúncio foi feito depois de uma reunião dos ministros da Defesa dos quatro países, mas não foram divulgados detalhes sobre o momento ou o local da mobilização das tropas.

Os militantes têm matado milhares de pessoas desde 2009, quando lançaram os seus esforços para fundar um Estado islâmico na Nigéria.

Bombardeios e ataques se tornaram comuns no norte da Nigéria, mas o Boko Haram chamou a atenção mundial há cerca de três meses ao sequestrar mais de 200 meninas de uma escola.

Os sequestros levaram a apelos internacionais para que ações fossem tomadas, além de promessas de presidentes da região para uma "guerra total" contra os militantes.

(Reportagem de Abdoulaye Massalaki)

Tudo o que sabemos sobre:
AFRICABOKOHARAMCOMBATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.