Países da Ásia pedem libertação da Prêmio Nobel Aung San

A Associação das Nações do Sudeste Asiático exortou o governo de Mianmá a libertar a líder pró-democracia Aung San Suu Kyi em um comunicado que marcou uma mudança na tradicional política do grupo, que é a de não-interferência nos assuntos internos de cada um dos países membros. Suu Kyi está detida desde 30 de maio, após confrontos entre membros de seu partido oposicionista e apoiadores do governo. Numa atitude sem precedentes da Asean, que até então desconsiderava a crise política em Mianmá - a antiga Birmânia -, o grupo de 10 países chegou a considerar o envio de uma delegação ministerial ao país governado por militares para se reunir com a detentora do prêmio Nobel da Paz de 1991. No comunicado conjunto emitido ao final da reunião de dois dias do grupo em Phnom Penh, no Camboja, os chanceleres da Asean disseram estar ?esperando pela suspensão em breve das restrições impostas a... Aung San Suu Kyi?.O chanceler birmanês, Win Aung, disse ter ficado descontente com o comunicado, acrescentando que não esperava que Suu Kyi fosse mencionada na declaração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.