Países da UE iniciam negociações para se aproximarem de Cuba

Segundo Catherine Ashton, avanço depende da determinação do regime cubano em continuar reformas

O Estado de S. Paulo,

10 de fevereiro de 2014 | 13h40

BRUXELAS - Os ministros das Relações Exteriores dos 28 países da União Europeia (UE) decidiram nesta segunda-feira, 10, em Bruxelas dar início às negociações para estreitar as relações com Cuba.

Segundo a alta representante para Assuntos Exteriores e Políticas de Segurança da UE, Catherine Ashton, qualquer avanço dependerá da determinação do regime cubano em dar continuidade às reformas para abrir a economia e cobrou respeito aos direitos humanos fundamentais pelo governo de Havana.

A UE retomou contatos com Cuba em 2008, dois anos depois de Raúl Castro assumir a presidência e dar início a uma série reformas.

Enquanto as relações dos Estados Unidos com Cuba são marcadas por um duro embargo comercial imposto há 52 anos, as nações europeias negociam há muito tempo com a ilha e milhões de europeus viajam para as praias cubanas a cada ano.

Ashton fez as declarações durante a reunião dos 28 chanceleres da União Europeia, que começou nesta segunda-feira em Bruxelas e tem como tema central a crise na Ucrânia./ AP

Tudo o que sabemos sobre:
UECuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.