Países do Golfo evitam pedir renúncia de Saddam

Uma reunião de ministros da região do Golfo Pérsico recusou-se a endossar uma proposta do Emirados Árabes Unidos, exortando Saddam Hussein a deixar o poder no Iraque. ?Trata-se de uma iniciativa muito importante, mas temos que discutir isso melhor ... (A resolução) tem que ser debatida entre todos os Estados árabes, para vermos como poderá ser implementada?, disse o xeque Hamad bin Jassim bin Jabor Al Thani, ministro das Relações Exteriores do Catar, depois da reunião do Conselho de Cooperação do Golfo.?Há uma pequena chance de que a guerra possa ser evitada?, acrescentou o xeque Hamad. Ele afirmou que a iniciativa de sugerir a renúncia de Saddam não pretende interferir nos assuntos internos do Iraque - uma preocupação de outros países árabes quando a proposta dos Emirados veio a público, na cúpula Árabe mantida, sábado, no Egito. Esperava-se que a proposta tivesse uma recepção melhor na reunião ministerial da região do Golfo, onde muitos países abrigam tropas americanas e não têm razões para sentir simpatia por Saddam. A proposta, até o momento apoiada por Bahrein e pelo Kuwait, foi duramente criticada pelo Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.