Países do Golfo retiram observadores após Assad rejeitar plano da Liga Árabe

Países do Golfo anunciaram ontem a retirada de seus observadores da missão da Liga Árabe que busca uma solução política para a crise na Síria. A decisão foi tomada após o regime de Bashar Assad ter rejeitado um plano de negociação proposto pela liga, segundo o qual ele entregaria o poder a seu vice e iniciaria uma transição com um governo de unidade nacional.

O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2012 | 03h01

Segundo a organização do bloco árabe, 55 observadores dos países do Golfo deixarão imediatamente a Síria, mas outros 100 emissários continuarão seu trabalho. Embora o regime Assad acuse a liga de planejar uma intervenção na Síria, o governo concordou ontem em estender o mandato da missão até 23 de fevereiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.