Países do Grupo de Xangai reafirmam autoridade da ONU

A Rússia, a China e os outros membros da Organização para a Cooperação de Xangai - também conhecida como Grupo de Xangai - aprovaram em Moscou uma declaração formal na qual ratificam o papel determinante das Nações Unidas na "nova ordem mundial", em particular para garantir a segurança e levar adiante a luta contra o terrorismo internacional.Ao término de uma reunião de cúpula, os membros do Grupo de Xangai afirmaram que o combate ao terrorismo "não deve ser identificado como uma luta contra qualquer religião, país ou nacionalidade". Além de Rússia e China, o Grupo de Xangai é composto ainda por Casaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão e Usbequistão.Na reunião de cúpula, os membros do Grupo de Xangai também decidiram que os organismos permanentes da entidade começarão a funcionar em janeiro. A secretaria-geral funcionará em Pequim, enquanto a estrutura regional de combate ao terrorismo será estabelecida em Bishek, no Quirguistão.O grupo de segurança foi estabelecido na cidade chinesa de Xangai em 1996. Seu objetivo era aumentar a segurança na fronteira da China com as repúblicas da extinta União Soviética. Mais tarde, o grupo evoluiu e tornou-se um fórum para debater e encorajar a cooperação multilateral, principalmente em questões econômicas e de segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.