Países do Grupo do Rio reforçam pedido de reforma da ONU

O Grupo do Rio insistiu, na Assembléia-Geral das Nações Unidas, na necessidade de uma "urgente" reforma da organização e a ampliação do número de membros permanentes do Conselho de Segurança. Atualmente, o conselho conta com cinco membros permanentes: Estados Unidos, Rússia, China, França e Grã-Bretanha, que têm direito a veto. Uma ampliação do conselho, que inclua um membro permanente da América Latina, posto disputado pelo Brasil, está em estudo.O embaixador do Peru na ONU e coordenador do Grupo do Rio, Osvaldo Rivero, afirmou que, neste sentido, "há uma plena coincidência" com um comunicado do secretário-geral da ONU, Kofi Annan, com relação "à necessidade de uma urgente reforma da organização".O Grupo do Rio, formado em 1986, é integrado por Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.