Países do Leste Europeu recusam refugiados chechenos

Desde os ataques ao teatro em Moscou por parte de rebeldes da Chechênia, no mês passado, os países do Leste Europeu estão dificultando a entrada de refugiados chechenos em seus territórios. A denúncia foi feita hoje pelo escritório da ONU para refugiados, ao alertar aos países que recusam refugiados, que podem estar violando as regras internacionais de proteção aos imigrantes.Segundo a ONU, o governo da Lituânia impediu, nesta semana, a entrada de 26 chechenos e os enviaram para a Bielorússia. De lá, pelo menos 17 deles foram enviados em trem para Moscou. " Até agora não sabemos onde esse grupo está ", afirmou um representante da ONU para refugiados.Na Polônia, dezenos de chechenos estão sendo impedidos de entrarem pela fronteira leste do país e estão sendo devolvidos às autoridades dos países vizinhos. A ONU não descarta que isso esteja ocorrendo em outros países da região."Estamos pedindo explicações aos governos da Polônia e da Lituânia. Entendemos as preocupações legítimas sobre a segurança depois dos ataques em Moscou, mas temos que ter em mente que ao se recusar a aceitar refugiados, os governos podem estar colocando essas pessoas em risco ", afirmou a ONU.Somente neste ano, os poloneses receberam mais de 1,6 mil refugiados da chechênia, mas foi somente depois dos ataques em Moscou que Varsóvia teriam implementado um política mais restritiva.Tanto a Polônia como a Lituânia estão entre os países candidatos a fazer parte da União Européia (UE). Para especialistas, seus esforços para controlar suas fronteiras pode estar sendo uma demonstração à Bruxelas de que estão dispostos a impedir a entrada de estrangeiros ilegais no bloco, uma das constantes preocupações de países como a Alemanha, Itália, Reino Unidos e França.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.