Países esperam mostrar isolamento da Rússia

Países apoiadores da integralidade territorial da Ucrânia esperam demonstrar a força da oposição a possível anexação da Crimeia pela Rússia em votação no Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) neste sábado. A resolução em voto pode culminar na declaração de que não tem validade o referendo de domingo sobre se a Crimeia deve se tornar parte da Rússia.

Agência Estado

15 de março de 2014 | 09h45

O Conselho de Segurança pode reafirmar seu compromisso com a integralidade territorial da Ucrânia e considerar que o referendo "não tem validade e não pode formar a base para qualquer alteração de status da Crimeia". A resolução, patrocinada pelos Estados Unidos, deve receber a rejeição da Rússia, membro permanente do Conselho.

A embaixadora dos Estados Unidos Samantha Power afirmou que a resolução é destinada a "mostrar a extensão do isolamento da Rússia enquanto ela persegue um caminho não-pacífico". Os países que defendem a unidade da Ucrânia estão certos de que 13 dos 15 membros do Conselho de Segurança devem votar "sim" e esperam que a China, um forte aliado da Rússia, se abstenha. A China é sensível a temas de unidade territorial por conta do Tibete e o embaixador da China na ONU, Liu Jieyi, reiterou apoio à soberania ucraniana e à não interferência em assuntos internos de outros países.

O Conselho de Segurança teve seis reuniões sobre a Ucrânia em menos de duas semanas, mas não conseguiu tomar nenhuma ação por conta do poder de veto da Rússia. Um encontro de mais de seis horas em Londres nesta sexta-feira entre o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o ministro das Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov, falhou em adiar o referendo. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.