Países europeus convocam embaixadores de Israel

Cinco nações europeias convocaram os embaixadores israelenses em seus respectivos Estados nesta segunda-feira para denunciar o plano de Israel de construir três mil casas de assentamentos judaicos na Cisjordânia e Jerusalém Oriental.

AE, Agência Estado

03 de dezembro de 2012 | 15h02

As convocações de França, Reino Unido, Suécia, Dinamarca e Espanha aumentam as tensões entre os Estado judeu e os aliados europeus que ajudaram a Palestina ser reconhecida como Estado na Organização das Nações Unidas.

Ainda que a Europa considere ilegais todas as construções de assentamentos israelense, a convocação é uma maneira forte e pouco comum de chamar atenção a um determinado tema.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, informou que seu governo levará os planos adiante e continuará a defender seus "interesses essenciais, apesar da pressão internacional".

A França, primeiro grande país europeu a anunciar apoio a busca pelo reconhecimento da Palestina, também enviou uma carta ao governo de Israel, chamando a decisão dos assentamentos como "um obstáculo considerável para a solução de dois Estados".

O embaixador israelense em Londres, Daniel Taub, foi convocado pelo governo do Reino Unido para uma reunião no Ministério de Relações Exteriores com o ministro de assuntos do Oriente Médio, Alistair Burt, para aprofundar as discussões, apontou o ministério em um comunicado, divulgado hoje após avisos de "fortes reações" à proposta de Israel.

Nenhuma das cinco nações europeias ameaçou abertamente tomar qualquer medida para punir Israel. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.