Países europeus enfrentam o pior inverno em décadas

Um clima de inverno rigoroso paralisou hoje várias regiões da Europa. As ruas de algumas cidades chegaram a acumular 47 centímetros de neve. Houve cancelamento de voos, transtornos no tráfego rodoviário e milhares de pessoas tiveram problemas para chegar ao trabalho e às escolas.

AE-AP, Agencia Estado

06 de janeiro de 2010 | 18h53

Na Inglaterra, que sofre o pior inverno desde 1981, foram cancelados 150 voos no Aeroporto de Heathrow. O trem Eurostar, que liga o país à França, suspendeu o serviço hoje.

Na Noruega, as temperaturas caíram para 41 graus negativos. Foi a medição de temperatura mais baixa no país escandinavo desde 1987. A chefe do controle de tráfego aéreo do Aeroporto de Roros, Lise Dukan, disse que o gelo precisou ser removido manualmente das asas dos aviões.

As nevascas no norte da Dinamarca também atingiram rodovias, ferrovias e o tráfego aéreo. Na Alemanha, grandes partes do país ficaram cobertas pela neve, com temperaturas de até 22 graus negativos no estado da Saxônia-Anhalt, no leste do país.

No resto da Europa, o tempo está mais moderado. A França e a Suíça escaparam em grande parte da onda de frio, embora tenham sido emitidos alertas de baixas temperaturas para o oeste da França.

Os meteorologistas culparam o frio prolongado no sistema do clima ártico, que promete temperaturas baixas em todo o mês de janeiro. O escritório britânico do clima advertiu que, se o frio se prolongar até o final de fevereiro, será o inverno mais rigoroso na Grã-Bretanha em três décadas.

"Não existe sinal de que isso está perto do fim - isso vai durar pelo menos até o final da próxima semana", alertou Clare Allen, da MeteoGroup, uma empresa privada de previsão do tempo.

Tudo o que sabemos sobre:
Europainvernoneveclima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.