Países europeus fecham embaixadas na Arábia

A Alemanha, a Grã-Bretanha e a Itália anunciaram que irão fechar por vários dias as embaixadas e consulados na Arábia Saudita por temor de um "iminente atentado", após os devastadores ataques que em 12 de maio mataram 34 pessoas, entre elas 8 norte-americanos em Riad. A embaixada italiana em Riad não atenderá hoje ao público, porém as atividades não serão suspensas, informaram fontes próximas ao Ministério de Relações Exteriores italiano. O governo saudita anunciou que adotou "severas medidas de segurança" após o alerta de serviços secretos do mundo todo sobre um novo ataque.A decisão de fechar as sedes diplomáticas foi tomada logo após as declarações feitas pelo príncipe Bandar Bin Sultan, embaixador saudita em Washington, convocado para consultas pelo seu próprio governo."A minha sensação geral é que algo grande ocorrerá aqui ou nos EUA", advertiu Bandar, segundo o qual na Arábia Saudita existem 50 militantes extremistas "irredutíveis". Segundo o embaixador, é possível que o cérebro que está por trás dos atentados de Riad seja o egípcio Saif al Adel, considerado o novo comandante militar da Al-Qaeda, a rede terrorista dirigida por Osama Bin Laden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.