Países negam pedido dos EUA para expulsar diplomatas iraquianos

Cresce a lista de países que rejeitaram o pedido feito ontem pelos EUA para que expulsem diplomatas iraquianos de seus territórios e fechem as embaixadas do Iraque. Para o governo norte-americano, os diplomatas iraquianos representam ?um regime corrupto e cruel?. "Nós não vamos reagir a algo como esse pedido. O Iraque é um país que a Finlândia reconhece. Seu governo pode mudar, é claro, mas trata-se de um país-membro da ONU", disse o ministro finlandês das Relações Exteriores, Erkki Tuomioja."A França acredita que essa decisão é assunto de nossa soberania. No momento, não há razão para fazermos isso", disse um porta-vos do Ministério das Relações Exteriores da França.A Holanda, integrante da lista de aliados dos EUA na guerra contra o Iraque, também anunciou que a expulsão de diplomatas iraquianos não está em seus planos.O Reino Unido, principal aliados dos EUA, recusou-se a comentar o pedido.O ministro das Relações Exteriores da Itália (outro aliado dos EUA), Franco Frattini, disse que o governo do país está estudando a questão. Os governos da Espanha, da Hungria e da Alemanha fizeram declarações semelhantes."Os EUA não podem ditar sua vontade a outros países. A Indonésia não vai atender às exigências políticas dos EUA, especialmente porque nossa política externa é livre e ativa. Somente nós podemos decidir sobre nossa política externa", disse o vice-presidente indonésio, Hmzah Haz.A Malásia anunciou que não vai expulsar os diplomatas iraquianos porque não há sinais de que eles estejam envolvidos em atividades que comprometam a segurança do país.Comentando as recusas, o secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, disse que a opção é de cada país. "Nós acreditamos que seria apropriado informar a nossos amigos que é tempo de cessar as atividades das missões iraquianas em seus países e que eles deveriam pedir aos líderes dessas missões que partissem". Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.