Países protestam contra reserva de contratos no Iraque

Aliados dos EUA que se opuseram à guerra no Iraque ficaram irritados e surpresos pela decisão do Pentágono de reservar US$ 18,6 bilhões em contratos para reconstrução do país árabe a empresas de países que apoiaram a guerra ou participam da ocupação. O governo alemão considerou a decisão ?inaceitável?. ?Recebemos as informações com surpresa e entraremos em contato com o lado americano?, afirmou o ministro de Relações Exteriores alemão, Joschka Fischer. depois de conversar com seu colega russo, Igor Ivanov.As nações européias disseram que a decisão americana vem como um golpe depois dos esforços de reaproximação empreendidos após a invasão do Iraque. França, Alemanha e Rússia lideraram a oposição à intervenção militar,Mas a Casa Branca se manteve firme na defesa da nova diretriz. ?Acho apropriado e razoável que os principais contratos de reconstrução, patrocinados com dólares do contribuinte americano, vão para o povo americano e aqueles países que trabalham com os EUA na tarefa árdua de construir um Iraque livre, próspero e democrático?, disse o porta-voz Scott McClellan.Países que quiserem disputar as licitações devem se envolver militarmente, disse McClellan, ou doar dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.