Ringo Chiu/REUTERS
Ringo Chiu/REUTERS

Países reagem e expulsam diplomatas da Rússia

Representantes passam a ser considerados 'personae non gratae' por Alemanha, Polônia e Suécia

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2021 | 17h54

BERLIM - Alemanha, Polônia e Suécia declararam nesta segunda-feira, 8, os diplomatas russos em seu países como “persona non grata”, dando o troco na mesma moeda à decisão da semana passada de Moscou de expulsar representantes das três nações – os russos disseram que eles participaram de atos em defesa do opositor russo Alexei Navalni

“Esta é uma resposta clara à decisão inaceitável de expulsar um diplomata sueco que estava apenas cumprindo suas obrigações”, escreveu a ministra das Relações Exteriores da Suécia, Ann Linde, no Twitter.

O Ministério das Relações Exteriores da Alemanha disse que a decisão russa “não foi justificada de forma alguma” e argumentou que o funcionário da embaixada agiu dentro de seus direitos sob a Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas para “informar-se sobre os acontecimentos no local”. O governo alemão acrescentou que a decisão foi tomada em estreita coordenação com a Polônia, a Suécia e os serviços diplomáticos da União Europeia (UE). 

O Ministério das Relações Exteriores da Polônia disse que tomou a medida “de acordo com o princípio da reciprocidade”.

Em uma declaração, legisladores da UE pediram a “todos os Estados-membros para mostrarem a máxima solidariedade com a Alemanha, Polônia e Suécia e tomarem todas as medidas adequadas”. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.