Países realizam manobras contra armas de destruição em massa

Exercício terá participação de seis países: EUA, Austrália, Reino Unido, França, Nova Zelândia e Japão

EFE

13 de outubro de 2007 | 02h01

Manobras navais conjuntas de vários países, destinadas a interceptar armas de destruição em massa, começaram hoje nas águas do Japão perto da cidade portuária de Yokosuka (sul de Tóquio), informou a agência "Kyodo". O exercício de defesa acontecerá durante três dias e contará com a participação de militares, aviões e navios de seis países: Estados Unidos, Austrália, Reino Unido, França e Nova Zelândia, além do Japão. No entanto, está prevista a participação de observadores de até 41 nações, entre elas várias européias e do Oriente Médio. As manobras, que fazem parte da Iniciativa de Segurança contra a Proliferação de Armas, têm como objetivo interceptar navios suspeitos de levar armas de destruição em massa ou materiais químicos ocultos que possam ser utilizados para construir esse tipo de armamento. As manobras começaram em 2003 como uma iniciativa do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e a última vez que foram realizadas no Japão foi em 2004.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.