Países se esforçam para fortalecer ações de paz da ONU

Os EUA e dezenas de outros países estão se esforçando para acelerar e fortalecer a resposta de paz a crises ao redor do mundo. O vice-presidente americano, Joe Biden, e o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, coordenaram uma reunião especial nesta sexta-feira durante a Assembleia Geral da ONU.

Estadão Conteúdo

26 de setembro de 2014 | 17h32

As Nações Unidas não têm forças armadas próprias e dependem de contribuições dos Estados membros. Ban disse que a organização tem mais de 130.000 agentes de força de paz, número recorde.

A embaixadora americana da ONU, Samantha Power, afirmou que mais de 30 países declararam "compromissos concretos" para contribuir com operações que vão do sul do Sudão à fronteira da Índia com o Paquistão.

A velocidade da resposta de paz da ONU é crucial. Sua missão de paz na República Centro Africana começou em 15 de setembro, nove meses depois de conflitos violentos entre cristãos e muçulmanos terem início. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ONUmissão de paz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.