Países seguem buscando acordo sobre Zimbábue em cúpula

Líderes de países do sul daÁfrica mantiveram prolongadas discussões neste sábado sobre umacordo de divisão de poder para pôr fim à crise políticadesencadeada com a eleição no Zimbábue. Uma fonte diplomática a par das conversações disse queainda não foi alcançado um acordo. As reuniões têm comoobjetivo aproximar o partido Zanu-PF, do presidente doZimbábue, Robert Mugabe, do oposicionista Movimento pelaMudança Democrática (MDC), liderado por Morgan Tsvangirai. "É altamente improvável que aconteça alguma coisa hoje.Vamos ver amanhã (domingo)", disse o diplomata no momento emque se encerravam os procedimentos do dia, em Johannesburgo. Líderes dos 14 países membros da Comunidade deDesenvolvimento do Sul Africano discutiram o esboço de umacordo durante uma reunião de quase cinco horas, a portasfechadas. Segundo diplomatas, tanto Mugabe como Tsvangiraiparticiparam da reunião. Uma outra fonte diplomática próxima das negociações disseque houve progresso e um acordo poderá ser firmado em breve. O chefe da mediação nas conversações, o presidentesul-africano, Thabo Mbeki, disse que milhões de pessoas noZimbábue aguardam uma saída positiva "com grande expectativa eesperanças elevadas". Mbeki se encontrou com os participantes nas conversações dasexta-feira. Ele tem sido amplamente criticado por não assumiruma posição dura com Mugabe. Se um acordo for alcançado duranteo encontro, Mbeki vai obter um grande ganho político. Ao ser indagado sobre seu otimismo em relação ao sucessodas negociações, o secretário-geral do MDC, Tendai Biti,respondeu: "Meio a meio".

STELLA MA, REUTERS

16 de agosto de 2008 | 17h36

Tudo o que sabemos sobre:
AFRICAZIMBABUECUPULA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.