Países terão de avaliar efeito social em medidas anticrise

Em um sinal de clara divisão entre os países emergentes e os países ricos em torno da crise, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou hoje uma resolução pedindo que governos considerem o impacto social da recessão mundial em suas políticas. Liderados pelo Brasil, as nações emergentes conseguiram que o Conselho de Direitos Humanos da ONU aprovasse a medida. Dos 47 países que fazem parte do Conselho de Direitos Humanos da ONU, 31 votaram pela aprovação da resolução. Não houve nenhum voto contrário. Mas 14 se abstiveram, em um sinal de protesto. Os países europeus, mais Canadá e Japão, se recusaram a apoiar a iniciativa e deixaram claro que não há um acordo sobre o que fazer em relação à crise social, que se agrava a cada dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.