Palestino é morto por soldados israelenses

Soldados israelenses disfarçados em tradicionais roupas árabes prenderam nesta quinta-feira um suposto militante palestino em uma operação numa padaria de Hebron e um agente secreto palestino foi assassinado num tiroteio com soldados israelenses em outra cidade da Cisjordânia. Ainda nesta quinta-feira, os corpos mutilados de dois palestinos foram encontrados perto do assentamento judaico de Kfar Darom, na Faixa de Gaza. A Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP), uma facção radical da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), revelou que os dois morreram durante uma "heróica operação de mártires" contra Kfar Darom na noite de ontem. A FPLP não informou como eles morreram e o Exército israelense dizia não dispor de informações imediatas sobre o assunto. No episódio de Hebron, seis israelenses disfarçados de árabes bateram na porta dos fundos de uma padaria, empurraram para lado o homem que abriu a porta e balearam e feriram o homem procurado, um funcionário da padaria identificado como Hazem Qawasmeh, disseram testemunhas. Um pedestre também ficou ferido no incidente, contou o dono da padaria, Ali Shweiki. Os soldados israelenses levaram os dois feridos até um assentamento judaico próximo e depois libertaram o pedestre ferido. O Exército israelense não comentou a operação, inclusive relatos de testemunhas segundo as quais os soldados israelenses abriram fogo sem provocação. Em Ramallah, também na Cisjordânia, o agente secreto palestino Riyad Sadi, de 26 anos, morreu em um choque com soldados israelenses na manhã de hoje. Os tiroteios passaram a ser freqüentes depois que tanques israelenses invadiram alguns bairros de Ramallah na semana passada em retaliação a um ataque palestino.

Agencia Estado,

24 Janeiro 2002 | 16h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.