Palestino fere 20 em Jerusalém

Motorista lança seu carro contra soldados israelenses

NYT, REUTERS E EFE, O Estadao de S.Paulo

23 de setembro de 2008 | 00h00

Um motorista árabe jogou ontem um automóvel BMW contra um grupo de soldados em uma movimentada rua perto da Cidade Velha de Jerusalém, deixando 20 feridos - 2 em estado grave. O motorista foi morto a tiros por um soldado israelense que estava no grupo. A polícia qualificou o incidente como um "ataque terrorista". O motorista não foi imediatamente identificado, mas o chefe de polícia da cidade, Ilan Franco, disse que ele era um palestino morador de Jerusalém Oriental e aparentemente agiu sozinho. A TV israelense informou que o veículo estava registrado em nome de Jabel Mukaber, que mora em um vilarejo árabe nos limites de Jerusalém. O palestino que invadiu em março uma escola religiosa em Jerusalém e matou oito judeus a tiros era do mesmo vilarejo.Este foi o terceiro incidente nos últimos meses em Jerusalém no qual veículos são usados como armas. Em julho, dois palestinos residentes em Jerusalém lançaram ataques separados usando máquinas de construção. Os ataques deixaram três mortos e vários feridos. Os dois palestinos foram mortos pela polícia ou por soldados.O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, divulgou um comunicado pedindo a rápida aprovação de um projeto que permitirá a destruição das casas de palestinos que cometerem ataques. Vários anos atrás, a Suprema Corte israelense declarou que a destruição de casas não impediria os atentados e as demolições foram suspensas.O ataque ocorreu às 23 horas (17 horas em Brasília) na Praça Tzahal, situada no meio da chamada "linha verde" - a fronteira imaginária que separava Jerusalém até a Guerra dos Seis Dias, de 1967-, diante do Portão de Jaffa, que dá acesso à antiga cidadela amuralhada. Os soldados pertencem a um corpo de artilharia que se dirigia ao Muro das Lamentações.Pouco depois do incidente, grupos de jovens ultra-ortodoxos e ultranacionalistas judeus se reuniram na área e tentaram agredir jovens árabes. Dezenas de pessoas bloquearam o trânsito na estrada perto do Portão de Jaffa, gritando "morte aos árabes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.