Palestino joga ácido em família de judeus na Cisjordânia

Polícia e Exército de Israel dizem que um homem e quatro crianças ficaram feridos no ataque

JERUSALÉM, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2014 | 02h02

Um palestino atirou ontem uma substância química - provavelmente ácido - em uma família israelense na Cisjordânia, ferindo um homem e quatro crianças, segundo informaram a polícia e o Exército de Israel.

O agressor foi ferido a tiros logo depois do ataque, que ocorreu em um posto de checagem no sul de Jerusalém. A porta-voz da polícia, Luba Samri, disse que o agressor "derramou uma substância desconhecida, que se suspeita seja ácido, em uma família de judeus". Ela afirmou que um civil atirou contra o palestino e o feriu.

O incidente ocorre em um momento de escalada nas tensões entre palestinos e israelenses, especialmente na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, territórios que Israel ocupou na Guerra dos Seis Dias, em 1967, mas que os palestinos reivindicam como parte de seu Estado, juntamente com a Faixa de Gaza. Ninguém assumiu a autoria do ataque.

Acidentes. Nos últimos quatro meses, dez israelenses e um estrangeiro foram mortos por palestinos em atentados com faca ou carro. Pelo menos uma dezena de palestinos também foram mortos, entre eles a maioria dos que cometeram os atentados.

Na quarta-feira, um ministro palestino morreu pouco depois de um confronto com um policial de fronteira israelense na Cisjordânia. O policial agarrou o ministro pelo pescoço durante uma briga e, minutos depois, ele caiu no chão com problemas respiratórios.

Uma autoridade de Israel presente à autópsia afirmou que o ministro morreu de ataque cardíaco, possivelmente causado pelo estresse, mas o patologista palestino concluiu que a pressão em seu pescoço foi a causa mais imediata do ataque do coração. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.