Palestino suspeito dispara contra forças palestinas

Um palestino suspeito de ter ordenado um ataque com morteiros contra um assentamento judaico disparou contra policiais palestinos que tentavam prendê-lo, a primeira mostra de resistência a forças de segurança palestinas impondo um frágil trégua. Três pessoas ficaram feridas no confronto no Campo de Refugiados Praia, em Gaza, na madrugada de hoje, disseram fontes palestinas. Não ficou claro se o suspeito estava entre os feridos. O chefe de segurança palestino Mohammed Dahlan havia prometido que suas forças iriam perseguir militantes que violassem uma trégua de grupos milicianos que entrou em vigor domingo último. Nos últimos três dias, a polícia palestina já deteve 12 pessoas em conexão com o ataque de morteiro, que feriu quatro israelenses. Cinco deles são do Comitê de Resistência Popular, um grupo renegado formado por antigos membros de facções maiores, que não apóia o cessar-fogo. Enquanto isso, um palestino morreu e outro ficou ferido numa explosão no sul de Gaza, informaram fontes de segurança palestinas. Não ficou clara a causa da explosão. Investigadores palestinos acreditam que os dois homens podem ter acidentalmente detonado explosivos deixados para trás por tropas israelenses, que ser retiraram de Gaza esta semana. Um porta-voz do Exército israelense disse que a explosão pode ter sido causada por um artefato explosivo detonado perto de uma patrulha do Exército de Israel no sul de Gaza.

Agencia Estado,

05 Julho 2003 | 14h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.