Palestinos acusam Hillary de prejudicar processo de paz

Os palestinos acusaram a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, de prejudicar o processo de negociação de paz no Oriente Médio, após ter elogiado a proposta de Israel de desacelerar a atividade de assentamento judeu. Os palestinos rejeitam a ideia de retomar as negociações de paz sem que Israel congele todas as construções de assentamento judeu na Cisjordânia e no leste de Jerusalém, terras que os palestinos reclamam para a construção de seu futuro Estado. Após encontro entre líderes palestinos e israelenses ontem, Hillary pediu retomada incondicional das negociações de paz e elogiou a oferta de Israel para uma desaceleração dos assentamentos judeus.

AE-AP, Agencia Estado

01 Novembro 2009 | 14h47

"Acredito que os Estados Unidos concordam com a expansão contínua dos assentamentos", disse o porta-voz do governo palestino, Ghassan Khatib, em uma rara crítica pública a Washington. "Ao pedir a retomada das negociações, apesar da manutenção da construção de assentamentos, Hillary não ajuda, porque tentamos esse caminho muitas outras vezes", acrescentou. "As negociações são sobre o fim da ocupação e a expansão dos assentamentos está praticamente forçando a ocupação", disse.

Os palestinos expressaram profundo desapontamento e frustração com as palavras de Hillary, as quais sinalizaram abandono de pedidos anteriores dos Estados Unidos de congelamento completo da atividade de assentamento. "Se a América não pode conseguir que Israel congele os assentamentos, que chance os palestinos têm de chegar a um acordo com Israel em questões de status permanente?", afirmou o negociador palestino, Saeb Erekat.

Mais conteúdo sobre:
Israel Palestina Hillary

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.