Palestinos ameaçam deixar negociações sobre Gaza

Negociadores palestinos ameaçaram neste domingo deixar as negociações sobre o conflito na Faixa de Gaza, intermediadas pelo Egito, a menos que os representantes israelenses voltem ao Cairo. A ameaça é um sinal das grandes diferenças entre os lados.

Estadão Conteúdo

10 de agosto de 2014 | 08h49

Autoridades israelenses disseram que seus negociadores, que deixaram o Egito na sexta-feira, só retornarão se os disparos de foguetes a partir de Gaza forem interrompidos.

O Hamas se recusa a estender a trégua temporária, que vigorou por 72 horas na semana passada, afirmando que quer garantias de que Israel abrirá as fronteiras do território palestino. Israel e Egito vem impondo o bloqueio, com graus variados, desde que o Hamas tomou Gaza, em 2007.

Desde o final da trégua, na sexta-feira, grupos militantes menores - e não o Hamas, segundo reivindicações de responsabilidade - dispararam dezenas de foguetes e morteiros contra Israel, dos quais dois foram lançados neste domingo. Israel respondeu com dezenas de ataques aéreos, dos quais pelo menos 20 aconteceram hoje. Segundo autoridades de Gaza, pelo menos dois palestinos morreram neste domingo vítimas dos ataques israelenses.

O impasse diplomático, juntamente com a continuidade dos ataques dos dois lados, indica que um acordo mais amplo para Gaza, como previsto pela comunidade internacional, ainda não tem data para acontecer.

Israel diz que não vai abrir as fronteiras de Gaza a menos que os grupos militantes, dentre eles o Hamas, se desarmem. Já o Hamas diz que entregar seu arsenal, que segundo estimativas contém milhares de foguetes, é inconcebível. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelGazanegociaçõesCairoameaça

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.