Palestinos buscam mais 2 votos no CS da ONU

EUA tentam evitar que Autoridade Palestina obtenha 9 votos necessários para reconhecimento de seu Estado e obrigue Washington a vetar medida

NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2011 | 03h05

Os palestinos ainda buscam o apoio de mais dois países para obter os nove votos necessários no Conselho de Segurança da ONU para a aprovação do reconhecimento de seu Estado como membro pleno da organização.

A meta é importante, pois a resolução precisa de 9 dos 15 votos do Conselho de Segurança para ser aprovada, o que obrigaria os EUA a usar seu poder de veto. Para evitar esse constrangimento, Washington trabalha nos bastidores para obter votos contrários ao pedido palestino ou o máximo de abstenções.

A Autoridade Palestina diz ter apoio de sete países, mas que os EUA estão pressionando os membros do Conselho de Segurança que ainda não definiram seu voto. Por isso, segundo Ramallah, é impossível garantir que todos manterão a palavra.

Entre os indecisos estão Gabão, Nigéria e Bósnia. Os dois países africanos tendem a votar com os palestinos. Os bósnios, apesar de parte da população ser muçulmana, só existem graças aos Acordos de Dayton, orquestrados pela diplomacia dos EUA. Negociadores israelenses admitem que o país tende a se abster.

Segundo o jornal israelense Haaretz, existe um "consenso tácito" entre as potências ocidentais para adiar ao máximo a votação da proposta palestina - tanto no Conselho de Segurança quanto na Assembleia-Geral.

Diplomatas da ONU afirmam que há meios de postergar o processo por "meses", no Conselho de Segurança, e "semanas", na Assembleia-Geral. Um exemplo seria a resolução com sanções contra a Síria, proposta pela França há mais de um mês, que ainda não foi votada. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.