Palestinos comemoram decisão histórica na ONU

Palestinos eufóricos comemoraram, buzinaram nas ruas e gritaram que Deus é grande após a Organização das Nações Unidas (ONU) declarar ontem a Palestina como Estado observador, dando apoio internacional à exigência da região por soberania das terras ocupadas por Israel em 1967.

AE, Agência Estado

30 de novembro de 2012 | 13h37

"Ter um Estado gera um sentimento maravilhoso, ainda que só no nome", disse um civil, em meio à multidão de duas mil pessoas que comemoravam em uma praça de Ramallah. "O sonho mais bonito de qualquer homem é ter um Estado independente, principalmente para nós que vivemos sob ocupação por tanto tempo."

A decisão histórica ocorrida ontem não irá conceder, na prática, a independência dos 4,3 milhões de palestinos que vivem na Cisjordânia, no leste de Jerusalém e na Faixa de Gaza. Israel deve continuar a ocupar os dois primeiros territórios e restringir o acesso a Gaza.

No entanto, ao conquistarem a aprovação de um fórum mundial extremamente simpático à sua causa - somente nove dos 193 membros votaram contra o reconhecimento -, os palestinos esperam dificultar a resistência de Israel à pressão global para negociar as fronteiras de uma futura Palestina com base em como elas eram antes de Israel assumir o controle dos territórios.

Promotores do Tribunal Penal Internacional disseram nesta sexta-feira que vão analisar o que a decisão da ONU significa para o relacionamento da Autoridade Palestina com o tribunal, que julga crimes de guerra.

Em comunicado divulgado após o voto na assembleia da ONU, a promotoria do tribunal afirmou que "vai considerar as implicações legais dessa resolução". Em abril, os promotores rejeitaram o pedido palestino por uma investigação de crimes de guerra ocorridos durante uma ofensiva de Israel à Faixa de Gaza, que começou em dezembro de 2008.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PalestinosComemorações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.