Palestinos derrubam fronteira; centenas invadem o Egito

Centenas de palestinos atravessaram a fronteira entre o Egito e a Faixa de Gaza sem nenhum tipo de revista, depois que homens armados roubaram escavadeiras, derrubaram o muro que separa os dois territórios e assumiram brevemente o controle de quatro edifícios governamentais, no mais recente desafio imposto ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.No outro lado da fronteira, os extremistas palestinos abriram fogo contra soldados do Exército do Egito, matando pelo menos dois deles e ferindo 30 pessoas, revelou o general egípcio Essam el-Sheikh, comandante das forças de seu país no norte do Sinai. Os militares recuaram para um ponto a um quilômetro da fronteira. Inicialmente, eles não tinham ordens para atirar, mas agora têm, avisou o general.Os homens armados são ligados às Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, um grupo radical com laços frouxos com a facção governista palestina Fatah, à qual pertence Abbas. Eles exigem a libertação de seu líder, detido por causa do recente seqüestro de três cidadãos britânicos.O incidente de hoje ocorreu em Rafah, no extremo sul da Faixa de Gaza. A confusão começou no fim da noite de terça-feira, quando os serviços secretos palestinos detiveram Alaa al-Hams, um líder das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa suspeito de participação no seqüestro da ativista britânica Kate Burton e de seus pais, ao longo de dois dias da semana passada. A família Burton está entre os 19 estrangeiros seqüestrados nos últimos meses em Gaza. Todos foram libertados ilesos depois de rápidas negociações.Depois de tomarem edifícios públicos e efetuarem disparos contra o prédio onde Hams está detido, os militantes partiram para a fronteira, onde ordenaram o fechamento dos portões de entrada e saída e pediram às pessoas que se afastassem. Eles deixaram os edifícios e o posto de fronteira depois de três horas.A seguir, roubaram as escavadeiras e avançaram com os veículos contra o muro de fronteira, enquanto eram seguidos por uma multidão em êxtase. Eles abriram dois imensos rombos no muro a apenas algumas centenas de metros do portão de fronteira."Nós faremos o que estiver ao nosso alcance para pressionar a ANP a libertar nosso líder", disse um ativista das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa que identificou-se como Abu Hassan.Centenas de pessoas atravessaram a fronteira sem que a polícia palestina pudesse fazer algo para detê-las. Enquanto as pessoas atravessavam, homens armados efetuavam disparos para o alto. Ao fim do dia, pelo menos 300 palestinos haviam atravessado para o Egito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.