Palestinos evitam tentativa de assassinato de líder

Autoridades palestinas informam ter frustrado um atentado contra a vida de um importante chefe de segurança, aliado do presidente Mahmoud Abbas, ao descobrir uma bomba plantada na rota do comboio do comandante. A descoberta dos 70 quilos de explosivos provavelmente inflamará ainda mais as tensões entre Abbas e o grupo extremista Hamas, que controla o atual governo palestino. No sábado, o chefe de espionagem de Abbas foi ferido em um atentado a bomba.A bomba deste domingo foi descoberta pouco antes de a escolta motorizada o alto comandante da Faixa de Gaza, Rashid Abu Shbak, deixar a casa do oficial. A estrada é checada todos os dias, antes que Abu Shbak saia para o trabalho. Autoridades informam que a bomba foi removida e há uma investigação em andamento.Abu Shbak está no núcleo da disputa de poder que vem numa escalada desde que o Hamas derrotou o Fatah, partido de Abbas, na eleição para o Parlamento palestino. Ao dominar o Parlamento, o Hamas ganhou o direito de formar o governo. Abbas, eleito numa votação em separado, é um moderado e exerce grande autoridade sobre as forças de segurança. É quanto ao controle dessas forças que o Fatah e o Hamas vêm se digladiando.Em abril, Abbas irritou o Hamas ao nomear Abu Shbak comandante de três agências que estão sob o organograma do Ministério do Interior, cujo titular é do Hamas. O grupo extremista reagiu anunciando a formação de uma milícia própria. O exército do Hamas, de 3.000 homens, entrou em ação pela primeira vez na semana passada, contrariando ordens de Abbas para que a força não fosse formada.Representantes do Fatah já deram a entender que vêem o Hamas como responsável pelo atentado de sábado e pelo ataque frustrado deste domingo, mas nenhuma acusação formal foi feita até agora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.