Palestinos exigem que Arafat promova reformas

Pelo menos 9 mil pessoas exigiram, num protesto pacífico pelas ruas de Gaza, que o presidente da Autoridade Palestina (AP), Yasser Arafat, promova reformas na administração das áreas autônomas da Cisjordânia e Faixa de Gaza para combater a corrupção entre as autoridades locais. A manifestação era liderada por militantes das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, grupo armado ligado à Fatah, facção de Arafat.O líder da Fatah em Gaza, Samir el-Masharawi, exortou Arafat a não escutar seus colaboradores corruptos e a promover reformas profundas. Pressionado pelo Conselho Legislativo Palestino (Parlamento), Arafat concordou em ceder ao primeiro-ministro Ahmed Korei plena autoridade sobre as forças de segurança, disse o deputado Imad Fallouji. Mas não houve um pronunciamento oficial sobre o assunto e em outras ocasiões Arafat fez semelhantes promessas, que não cumpriu.Korei renunciou ao cargo no sábado, queixando-se do caos na administração da AP e da falta de poder para reformar as forças de segurança. Ele tomou essa atitude depois de um a série de seqüestros na Faixa de Gaza. No entanto, Arafat se recusa a aceitar a renúncia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.