Palestinos explodem posto israelense

Palestinos explodiram um posto do Exército de Israel na Faixa de Gaza e ameaçam as negociações de paz entre o presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat, e o ministro do Exterior israelense, Shimon Peres, que haviam sido programadas para as 9h30 de hoje (4h30, em Brasília). Os militares disseram que três soldados foram feridos por uma bomba colocada em um túnel escavado próximo ao posto, perto da fronteira de Israel com o Egito. A Rádio do Exército informou que nenhum dos três soldados está gravemente ferido.Fontes da segurança palestina disseram que, após o ataque, tanques israelenses entraram no campo de refugiados de Rafah, que fica próximo ao posto militar bombardeado, e abriram fogo. Eles disseram que alguma casas foram danificadas, mas não souberam dizer se alguém ficou ferido por causa dos ataques.Apesar da violência, não há nenhum sinal de que o encontro entre Arafat e Peres será cancelado. Uma TV israelense mostrou imagens de Peres chegando a Gaza, onde o encontro será realizado.Há esperanças na região de que a reunião possa abrir o caminho para o fim gradual após quase um ano de confrontos que abalaram as esperanças de paz e deixaram mais de 800 mortos, sendo mais 80% palestinos.Em sua primeira entrevista à TV palestina desde o início dos confrontos, Peres disse hoje que "a reunião foi organizada de forma apropriada, do meu ponto de vista, e será realizada numa atmosfera de concordância entre as duas partes".Os Estados Unidos pressionam para que a reunião ocorra. O secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, vem mantendo contatos telefônicos diários com líderes de ambos os lados, disseram as fontes.A maior participação dos Estados Unidos no processo ocorre em meio a seus esforços para estabelecer uma coalizão para combater o terrorismo internacional após os devastadores ataques de 11 de setembro contra o World Trade Center, em Nova York, e a sede do Pentágono, em Washington.Os EUA buscam o apoio dos Estados árabes moderados e o prosseguimento da violência entre palestinos e israelenses pode interferir na empreitada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.